Sobre a Chacina da Lapa

Telegrama ao Comitê Central do Partido Comunista do Brasil

Enver Hoxha

Janeiro de 1977


Fonte: Albania Today, número 1 (32), janeiro-fevereiro de 1977, págs. 37-38.
Tradução e HTML: Lucas Cenir Friederich
Direitos de Reprodução: licenciado sob uma Licença Creative Commons.

De acordo com informações obtidas pela Agência Telegráfica Albanesa, na metade de dezembro de 1976, um grande número de soldados do II Exército Brasileiro cercaram uma das regiões pobres da cidade de São Paulo, onde se faziam preparações para o encontro de alguns camaradas do Partido Comunista do Brasil. O resultado do subsequente confronto armado foi o assassinato dos membros da Comissão Executiva do Comitê Central do Partido Comunista do Brasil, camaradas Pedro Pomar e Ângelo Arroyo, e do membro do Comitê Central do Partido, João Batista Drummond. Outros camaradas foram capturados e presos. Não se sabe o que acontecerá com eles.

Comovido pelo acontecimento, o camarada Enver Hoxha, primeiro-secretário do Comitê Central do Partido do Trabalho da Albânia, enviou ao Comitê Central do Partido Comunista do Brasil o seguinte telegrama:

Queridos camaradas,

Com profundo pesar, recebemos a notícia da heroica morte dos camaradas Pedro Pomar e Ângelo Arroyo, membros da Comissão Executiva do Comitê Central, e do camarada João Batista Drummond, membro do Comitê Central do Partido Comunista do Brasil. Essa notícia abalou profundamente os comunistas albaneses e todo o nosso povo, que têm grande respeito e admiração pelo seu partido irmão, o Partido Comunista do Brasil, e seus bravos líderes e militantes, que lutam com coragem e determinação, sem temer por suas próprias vidas, pela liberdade do povo, pela independência e progresso democrático de seu país e pelos ideais do comunismo.

O assassinato cruel dos camaradas Pedro Pomar, Ângelo Arroyo e João Batista Drummond, bem como a prisão de outros camaradas, é uma expressão da fúria da reação fascista no Brasil e da bárbara opressão pela ditadura militar a serviço do imperialismo americano contra o povo brasileiro e contra seus melhores filhos, patriotas e maiores progressistas. Essa nova onda de violência reacionária demonstra a fraqueza do regime fascista, que, de modo a prolongar a sua existência, tenta conter a revolta das massas e afogá-la em sangue, tornando o país inteiro em uma sombria prisão.

Preservaremos para sempre a memória dos camaradas caídos na luta revolucionária contra os fascistas brasileiros. Em especial, é inesquecível a memória do nosso querido camarada Pedro Pomar, um dos renomados líderes e fundadores do Partido Comunista do Brasil, que era, ao mesmo tempo, um amigo íntimo do nosso partido e um firme apoiador da luta do nosso povo pela construção do socialismo. Suas visitas à Albânia sempre nos trouxeram grande alegria e encorajamento.

A perda sofrida pelo Partido Comunista do Brasil é grave, mas estamos convencidos que não há violência fascista, terror ou repressão capaz de destruir suas forças ou cortar seus laços com a classe trabalhadora e as profundas raízes que possui entre seu povo. Os camaradas que caíram serão certamente substituídos por centenas e milhares de outros que se levantarão e erguerão para sempre a bandeira da luta revolucionária contra o fascismo interno, contra o imperialismo e o social-imperialismo, contra o revisionismo moderno e a favor da vitória do marxismo-leninismo.

Glória aos heróis caídos na luta por liberdade, independência e socialismo!


Inclusão: 05/11/2021